Perigos associados a sistemas de Mesoescala

B

Bow Echo

Bow Echo

Definição:

Possuem uma assinatura de radar na forma de arco que está associado a sistemas de tempestades severas acompanhadas de ventos muito fortes. Estes sistemas podem produzir ventos fortes organizados em linha reta e, ocasionalmente, tornados, causando grandes danos. Eles também podem se tornar direitos.

 

 

Ver:

https://periodicos.ufsm.br/index.php/cienciaenatura/article/view/11652/pdf

http://www.spc.noaa.gov/misc/AbtDerechos/bowechoprot.htm

https://en.wikipedia.org/wiki/Bow_echo

 

 

Excluir: Bow EchoEditar: Bow Echo

BWER

 região fraco eco delimitada, também conhecido como um BWER ou uma abóbada, é um radar de assinatura dentro de um temporal caracterizada por um mínimo local em radar refletividade em níveis baixos, que se estende para cima, para, e é cercado por, reflectivities mais elevados no alto. Esta característica está associada a uma forte corrente de ar ascendente e quase sempre é encontrado na região de entrada de um temporal. Não pode ser visto visualmente. O BWER foi observado em imagens de radar de tempestades severas desde 1973 e tem um raio equivalente sistema de detecção conhecido como um buraco de relâmpagos.

https://en.wikipedia.org/wiki/Bounded_weak_echo_region

Excluir: BWEREditar: BWER

C

CCMs - Complexo Convectivo Mesoescala

 Complexo Convectivo Mesoescala

Um complexo convectivo de mesoescala (CCM) é um tipo único de sistemas convectivos de mesoescala que é definida por características observadas no infravermelho imagens de satélite . Eles são de longa duração, noturno na formação e geralmente contêm pesada precipitação , vento ,granizo , raios e possivelmente tornados.

Tamanho 

Um complexo convectivo de mesoescala tem:

1- uma área de topo de nuvem de 100.000 km² ou mais com temperatura inferior ou igual a -32 ° C, ou

2: uma área de topo de nuvem de 50.000 km² com temperatura menor ou igual A -52 ° C. 

As definições de tamanho devem ser atendidas por 6 horas ou mais. Sua extensão máxima é definida como quando o escudo da nuvem atinge a área máxima. Sua excentricidade (eixo menor / eixo maior) é maior ou igual a 0,7 na extensão máxima.

Desenvolvimento 

CCMs comumente desenvolvem a partir da fusão de trovoadas em uma linha de instabilidade que eventualmente satisfazer os critérios da MCC.  

 

Excluir: CCMs - Complexo Convectivo MesoescalaEditar: CCMs - Complexo Convectivo Mesoescala

Chuva de animais

Um fenômemo natural associado à formação de tornados é a chuva de animais. Na chuva de animais é comum encontrar peixes, rãs, sapos e pássaros que caem como chuva. Tal fenômeno pode ser explicado através de um tornado na forma de tromba d'água, sugando pequenos animais (peixes, rãs e sapos) para o interior da tempestade de ventos ascendentes, ocasionando a posterior precipitação dos mesmos em regiões próximas. No caso do Furacão Catarina foram achados peixes a 5 km do mar. 

Excluir: Chuva de animaisEditar: Chuva de animais

Ciclone tropical

Ciclone tropical é um termo geral para esse fenômeno meteorológico, mas dependendo de sua localização geográfica e de sua intensidade, os ciclones tropicais podem ganhar várias outras denominações, tais como furacãotufãotempestade tropicaltempestade ciclônicadepressão tropical ou simplesmente ciclone.

Um Ciclone tropical é uma grande perturbação na atmosfera terrestre. É um sistema formado por grandes tempestades e é caracterizada por ser uma região onde a pressão atmosférica é significativamente menor e a temperatura é ligeiramente maior do que suas vizinhanças. É uma área de baixa pressão atmosférica com uma circulação fechada de ventos e diferencia-se dos ciclones extratropicais por ter um núcleo quente e um centro bastante definido em sistemas mais intensos, conhecido como olho. A grande diferença de pressão atmosférica entre o centro do ciclone e suas vizinhanças, conhecida como força de gradiente de pressão, gera intensos ventos que podem ultrapassar 300 km/h em grandes ciclones. Seu giro característico, no sentido anti-horário no hemisfério norte e horário no hemisfério sul, é inicialmente causado pela força de Coriolis e postergada pela energia liberada pela condensação da umidade atmosférica. Trovoadas e chuvas torrenciais estão frequentemente associados a ciclones tropicais. Formam-se costumeiramente nas regiões trópicas, aos arredores da Linha do Equador, onde constitui uma parte do sistema de circulação atmosférica ao mover calor da região equatorial para as latitudes mais altas. O ciclone tropical é movido pela energia térmica liberada quando ar úmido sobe para camadas mais altas da atmosfera e o vapor de água associado se condensa.

 

Excluir: Ciclone tropicalEditar: Ciclone tropical

D

Direchos (Direitos)

Um derecho (do espanhol derecho, significando "direito") é uma tempestade convectiva generalizada, de longa duração, com ventos retilíneos e associada a uma banda de tempestades severas se movendo rapidamente, usualmente tomando a forma de um eco em arco. Derechos sopram na direção determinada pelo movimento da tempestade associada, similar às frentes de rajadas, exceto pelo fato de que a velocidade do vento aumenta no interior da tempestade. Registrados tipicamente em climas quentes, derechos ocorrem com mais frequência no verão, e não há diferença de ocorrência entre o dia e a noite.

O critério tradicional que distingue um derecho de uma tempestade severa são os ventos sustentados de mais de 90 km/h durante a tempestade, com rápido aumento e sua extensão geográfica (de mais de 460 km) em comprimento. Ademais, têm um aparência distinta no radar (eco em arco), várias características únicas como os ventos incidentes em sua parte posterior e o vórtices delineados, e normalmente manifestam duas ou mais rajadas de vento descendentes. Apesar de estas tempestades ocorrerem mais comumente na América do Norte, já foram registradas em outras partes do mundo. Por exemplo, em Bangladesh e porções adjacentes da Índia, um tipo de tempestade conhecida como "Nor'wester" pode ser um derecho progressivo

No Sul do Brasil "direitos" são frequentes e muito fortes sendo que no RS já forma registrados ventos maiores que 200 km por hora. Eles tem se tornados mais frequentes em função do aquecimento global. 

Apesar disto são fenômenos que não possuem, ainda, nenhum estudo acadêmico no Brasil.

 

https://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/3/37/Derecho_development.png

 

Excluir: Direchos (Direitos)Editar: Direchos (Direitos)

Downburst

Downburst é um vento de grande intensidade e junto ao solo que, a partir de determinado ponto, sopra de forma radial; isto é, em linha reta em todas as direções a partir do ponto de contacto com o terreno. Este fenómeno produz frequentemente ventos de grande perigosidade e pode ser confundido com um tornado. No entanto, enquanto num tornado os ventos de grande velocidade giram em volta de um ponto central e se deslocam para cima e para baixo, no downburst movem-se unicamente em direção ao solo e depois para fora do ponto onde aterram.

https://en.wikipedia.org/wiki/Downburst

Excluir: DownburstEditar: Downburst

E

Enchente Repentina

Enchente relâmpago ou repentinas.

Uma enchente relâmpago é uma inundação rápida de áreas geomórficas baixas: lavagens, rios, lagos secos e bacias. Ela pode ser causada pela chuva forte associada a uma tempestade, furacão, tempestade tropical ou degelo do gelo ou neve fluindo sobre as camadas de gelo ou campos de neve. As enchentes relâmpago podem ocorrer após o colapso de uma barragem de gelo natural ou detritos, ou uma estrutura humana, como uma barragem. As enchentes relâmpago se distinguem de uma inundação regular por uma escala de tempo de menos de seis horas.

 

Ref:

https://pt.wikipedia.org/wiki/Enchente_rel%C3%A2mpago

https://en.wikipedia.org/wiki/Flash_flood

Excluir: Enchente RepentinaEditar: Enchente Repentina

Escala Fujita

escala Fujita (ou Fujita-Pearson Tornado Intensity Scale) é a escala que mede a intensidade dos tornados, batizada com este nome em homenagem ao falecido cientista de tornados, Dr. Ted Fujita da Universidade de Chicago.

 

Os tornados são medidos pela quantia de estrago que eles causam, e não pelo seu tamanho físico. Também é importante lembrar-se de que o tamanho de um tornado não é necessariamente uma indicação de sua ferocidade. Tornados grandes podem ser fracos, e tornados pequenos podem ser violentos.

A escala Fujita vai de F0 (Fujita-0 abreviado) até F5 (Fujita-5 abreviado):

  • Tornado F0: Velocidades de vento inferiores a 117 km/h. Normalmente causam poucos danos.
  • Tornado F1: Velocidades de vento entre 117 e 180 km/h. Até mesmo estes tornados podem levantar telhas e mover carros em movimento para fora da estrada. Trailers podem ser tombados e barracos podem desmoronar.
  • Tornado F2: Velocidades de vento entre 181 e 253 km/h. Os telhados de algumas casas começarão a levantar e os trailers/casas móveis que estiverem no caminho do tornado serão demolidos. Este tornado também pode soprar vagões de trem para fora de seus trilhos.
  • Tornado F3: Velocidades de vento entre 254 e 332 km/h. Árvores pesadas serão arrancadas e levantadas pela raiz, e paredes e telhados de edifícios sólidos serão arrancados como palitos de fósforos. É um tornado severo.
  • Tornado F4: Velocidades de vento entre 333 e 418 km/h. Locomotivas e caminhões pesados toneladas são arremessados como brinquedos. Haverá devastação total.
  • Tornado F5: Velocidades de vento entre 419 e 512 km/h. Tornados com esta intensidade destroem tudo em seu caminho. Os carros são arremessados como pedras para centenas de metros, e edifícios inteiros podem ser levantados do chão. A força é semelhante à de uma bomba atômica.

 

 https://pt.wikipedia.org/wiki/Escala_Fujita

Excluir: Escala FujitaEditar: Escala Fujita

Espiga de granizo (Hail spike)

Um Espiga de granizo (hail spike)  ou pico de  dispersão de tres corpo (three body scatter spike - TBSS) é uma assinatura em um radar meteorológico  indicativo de  granizo de grande tamanho. Eles são identificados por um pico de ecos de fraca refletividade  na forma de uma seta (triangular) que se estendem para fora  de uma tempestade e longe do local do radar.

https://en.wikipedia.org/wiki/Hail_spike

Excluir: Espiga de granizo (Hail spike)Editar: Espiga de granizo (Hail spike)

G

Granizo (Previsão de granizo)

Previsão de Granizo

Granizo (ou saraiva) pode ser destrutivo, tanto para a vegetação quanto para as estruturas feitas pelo homem. Ele é classificado como severo pela OMM- “Organização Meteorológica Mundial” quando seu tamanho for igual ou superior a 2 cm de diâmetro. Os ventos fortes podem fazem com que essas esferas de gelo tornem-se ainda mais destrutivas. Ele é difícil de prever quando e onde ele cairá, da mesma forma que é difícil prever onde os tornados devem aparecer. No entanto, numa região onde há muito granizo, o aparecimento de um tornado é mais plausível. Granizo ocorre em associação com trovoadas, especialmente trovoadas na forma de supercelulas.  

Alguns fatores a serem considerados quando se tenta prever para a probabilidade e o tamanho de granizo:

1. ALTITUDE: Áreas com altitude mais elevada estão mais próximos das camadas mais frias da atmosfera superior. Quando uma pedra de granizo cai, ela começa a derreter quando a temperatura ambiente sobe acima de zero. Se a pedra de granizo tem que passar através de uma camada profunda de ar quente ela irá se derreter, se transformando em pingos de chuva e, consequentemente, diminuindo de tamanho. O granizo pequeno pode se derreter mais rapidamente que o granizo maior. Assim, regiões de montanhosas têm o maior número de dias de granizo por ano e maior que regiões mais baixas.  Porém ele pode chegar à superfície, com mais frequência, quando formado à sota-vento das montanhas, neste caso o granizo pode ser mais rapidamente ser transportado caindo eventualmente em áreas de elevação mais baixas.

2. NÍVEL DE CONGELAMENTO: O nível de congelamento determina a profundidade da atmosfera que está acima da temperatura de congelamento. Se o nível de congelamento é elevado, o granizo terá mais tempo para derreter do que se o nível de congelação estiver próximo da superfície. Um nível de congelamento mais elevado, também, diminui a profundidade vertical na qual é possível a formação e o crescimento de granizo. O nível de congelamento depende de elevação orográfica, da estação do ano, e do perfil de temperatura ambiente. As áreas mais elevadas, normalmente terão níveis, relativamente, mais baixos de congelamento em todas as estações do ano. Para as áreas de baixa altitude, em que uma tempestade forte, a regra geral a seguir é se o nível de congelamento estiver abaixo de 650 hPa, há uma boa probabilidade de  se produzir granizo e deste  atingir a superfície. O nível de congelamento pode ser encontrado facilmente pelo exame do diagrama skewT/Log-P.

3. ALTURA DO NÍVEL ZERO C DA TEMPERATURA DE BULBO HÚMIDO: O nível de zero da temperatura de bulbo húmido é definido como o nível de congelamento que resultado do arrefecimento evaporativo.  O nível de congelamento irá diminuir se houver ar seco no meio da atmosfera. Isso ocorre devido ao resfriamento evaporativo do ar ambiental dentro de uma tempestade. É este mesmo nível de resfriamento que pode produzir ventos fortes em superfície.

4. ENERGIA POTENCIAL CONVECTIVA DISPONÍVEL (CAPE): A CAPE é o fator mais importante na determinação do tamanho do granizo. CAPE menores que 1000 J/kg, geralmente, podem produzem granizo de tamanho menor que o considerado grave (de 2 cm ou menos), enquanto CAPES mais de 2000 J/kg podem produzir pedras de granizo muito grande.  Alto CAPE conduzirá velocidades verticais ascendentes - UVV elevadas dentro de uma tempestade.  A UVV mais alta pode suspender o granizo e adicionar camadas extas de gelo ao granizo já desenvolvido. Dada a baixa frequência de sondagem uma estratégia para inferir o CAPE “aproximado” é modificar o diagrama skewT/logP da sondagem de manhã, usando para o primeiro nível a temperatura e o ponto de orvalho da superfície do horário ao que pretende-se avaliar o CAPE novamente.  

5. NUVENS SUPERCELULAS COM FORTE CISALHAMENTO VERTICAL DO VENTO EM ALTOS NÍVEIS. Fortes cisalhamento do vento de nível superior permitem que a CAPE seja maximizada  ao seu pleno potencial. Fortes ventos inclinam as correntes ascendentes de tempestade em desenvolvimento. Isto permite que a corrente de ar ascendente e descendente seja separada uma da outra impedindo que elas se destruam mutuamente. Isso produz uma velocidade vertical ascendente mais elevada.

 

6. ÁGUA PRECIPITÁVEL: O peso de humidade e da água irá influenciar a força da corrente de ar ascendente. Sondagens com alta umidade resultam em carregamento de água. O peso da agua é reduzido com a carga de água precipitável  uma vez que a força da gravidade empurra para baixo sobre as gotas de água líquida. Valores água precipitável mais baixo têm o potencial de produzir grandes pedras de granizo, quando CAPE significativo está presente. Supercelulas com baixa precipitação são notórios por produzirem grande granizo.

Resumo: O tamanho do granizo é maximizado em áreas de altitude elevada, por níveis de congelamento mais baixo e pelo baixo conteúdo de agua líquida, pela presença de ar seco em nível médio, por altos valores de CAPE, e pelo grande cisalhamento do vento.

 

Tamanho Granizo é minimizado em áreas de altitude mais baixas, por níveis de congelamento mais altos e pelo alto conteúdo de agua líquida, pela presença de ar úmido em nível médio, por baixos valores de CAPE, e pelo fraco cisalhamento do vento.

Previsão tamanho granizo

Com base na discussão anterior, é evidente que prever o tamanho que as pedras de granizo que alcançam a superfície exigem conhecimento de muitos processos não observáveis, pelo menos, em uma previsão. Tudo o que é previsível é uma estimativa aproximada da velocidade máxima corrente de ar (com base no CAPE ambiental e no cisalhamento) e altura do ponto de fusão do gelo (com base no nível de zero de bulbo úmido). Como observado acima, as correntes descendentes intensas (updrafts) não são garantia de grandes pedras de granizo devido à importância das trajetórias favoráveis do granizo ​​e alto teor de água líquida super-resfriada. Mesmo que grandes pedras de granizo sejam formadas, não há garantia elas vão chegar à superfície, devido ao derretimento dentro e fora da nuvem. CAPE e a altura do nível de zero grau césio da temperatura de bulbo úmido são os parâmetros mais populares utilizados para prever a probabilidade de granizo. Infelizmente, o tamanho do granizo observado é pouco correlacionado com ambos os parâmetros. As correlações são presumivelmente tão pequenas por causa de todas as complexidades descritas anteriormente. Além disso, CAPE nem sempre é um bom indicador de força corrente ascendente; sua utilidade preditiva para a velocidade máxima corrente ascendente diminui à medida que as condições de validade da teoria da parcela. Embora o CAPE e a altura temperatura de bulbo úmido (e cisalhamento do vento vertical) são individualmente de utilidade limitada para prever o tamanho do granizo previsão, se se considerar o CAPE, a temperatura de bulbo úmido, e cisalhamento do vento em conjuntamente é a melhor estratégia para a previsão granizo.

Uma vez que uma tempestade é detectada por radar, a presença de granizo de grande tamanho às vezes pode ser inferida a partir da observação de um pico de granizo em dados de refletividade, também conhecido como um “hail spike ” ou assinatura de três corpos espalhando. O pico de granizo é encontrado ao longo de uma radial, imediatamente atrás de uma região de grande granizo (Figura 1). A assinatura é o resultado da transmissão radar sendo espalhadas por grande granizo no ar em direção ao chão (que pode ser coberto com granizo), de volta ao grande granizo no ar, a grande granizo, mas ao longo do mesmo radial. A velocidade anômala do granizo é uma pista adicional que a assinatura refletividade é de fato o resultado desta dispersão 'extra'. A refletividade máxima dentro de um eco do radar geralmente não é um bom indicador do tamanho do granizo.

 Figura 1- “hail spike ” ou assinatura de três corpos espalhando.

Por outro lado, dados de radar dual planimétrico pode fornecer as estimativas mais precisas de tamanho granizo.

 

Excluir: Granizo (Previsão de granizo)Editar: Granizo (Previsão de granizo)

Gustnado

Um gustnado é um pequeno redemoinho vertical associado a uma frente de rajadas de vento ou a uma rajada de vento descendente. Por não se conectarem com a base de uma nuvem, existe um certo debate sobre o fato de gustnados serem ou não tornados. Formam-se quando um fluxo de ar frio, seco e rápido, proveniente de uma tempestade, se encontra com uma massa de ar quente, humida e estacionária próxima ao limite do fluxo, resultando num efeito de turbilhonamento.

 

https://en.wikipedia.org/wiki/Gustnado

Excluir: GustnadoEditar: Gustnado

H

Hook echo

 Um eco gancho é uma estrutura em forma de gancho numa imagem de  radar meteorológico que pode ser identificado como a assinatura de parte de uma tempestade de  supercélula. Pode ser encontrada nas porções inferiores de uma tempestade na area de entrada do fluxo de ar em uma mesociclone resultando em uma curva de reflectividade que reflete a . O eco é produzido pela chuva, granizo, ou até mesmo detritos sendo enrolado em torno da supercélula.  É uma das marcas clássicas de tornados produzidos por supercélulas.  O Serviço Nacional de Meteorologia pode considerar a presença de um eco gancho como suficientes para justificar a emissão de um aviso de tornado

https://en.wikipedia.org/wiki/Hook_echo

Excluir: Hook echoEditar: Hook echo

I

Inundações repentinas

 

Inundações repentinas ou "flash floods" são o perigo mais mortal associada a convecção em todo o planeta. Embora as mortes devido a tornados e relacionadas com o furacão diminuíram de forma constante ao longo dos últimos 50 anos, pelo menos nos Estados Unidos, sem dúvida, devido a melhores advertências e tecnologia, as mortes devidas inundação repentinas não diminuíram comparativamente.

A natureza do problema de previsão de cheias é complicado pela interação da meteorologia com hidrologia. Por exemplo, as chances de um determinado efeito de chuva para produzir uma enchente são substancialmente afetada por fatores como quantidade de precipitação antecedente, o tamanho da bacia de drenagem, a topografia da bacia de drenagem, a quantidade de uso urbano dentro da bacia, Falhas em barragens, etc.

Embora o nosso foco é sobre os aspectos meteorológicos de enchentes, não queremos dar a entender que os aspectos hidrológicos não pode ser tão importante. Se é a taxa média de precipitação é R e D é a duração da chuva, a acumulação total de precipitação,  P=R*D, assim, as maiores acumulações de precipitação ocorrer quando chove muito por longo tempo.

Em geral, a duração precipitação aumenta com a diminuição da velocidades de translação da tempestade assim como a velocidade do vento, ou, no caso de SCM, duração precipitação é maximizado quando o movimento célula é oposta à propagação do sistema convectivo, neste caso o sistema pode ser quase estacionário. Esta situação é na maioria das vezes observada quando uma frente quente ou frente estacionária interage com um jacto de baixo nível, de modo a que as novas células são repetidamente desencadeada no flanco traseiro do SCM. Assim as células convectivas e seus índices pluviométricos elevados associados podem gerar inundações repentinas nas mesmas áreas, um fenômeno conhecido como (radar) formação de eco ("echo training").

Nentes eventos, o cisalhamento do vento de baixos níveis tendem a ser aproximadamente perpendicular à frente, e em médio nível  o cisalhamento do vento tende a ser aproximadamente paralela à frente.

Em  sistemas estratiforme, em geral, os sistema SCMs  "leading stratiform" tendem a se mover mais lentamente do que estratiforme paralelo (PS) e os estratiforme a direta (TS), e são, portanto, mais propensos a produzir acumulações extremos de chuva. Em  SCMs  LS coincide com o movimento de células, enquanto que no terreno SCMs a propagação-relativa e movimento de células tendem a ser no mesmo sentido.

A duração da precipitação pesada num local fixo, também depende da estrutura da convecção; por exemplo, um SCMs com uma região estratiforme precipitação grande representa uma ameaça maior do que uma SCMs com uma pequena região estratiforme precipitação.

Veja tambem:

https://pt.wikipedia.org/wiki/Enchente_rel%C3%A2mpago

https://en.wikipedia.org/wiki/Flash_flood

 

Excluir: Inundações repentinasEditar: Inundações repentinas

J

Jato de entrada traseiro ou "Rear inflow jet"

O jato de entrada traseiro é um componente de Bow echos  em um sistema convectivo mesoescala onde ele auxilia na criação de uma piscina fria mais forte e downdraft.

O jato forma-se como resposta a uma circulação convectiva com inclinação de inclinação e gradientes de pressão horizontais. A piscina fria que vem da saída de uma tempestade forma uma área de alta pressão na superfície. Em resposta à superfície alta e temperaturas mais quentes devido à convecção, uma mesobaixa de nível médio se forma atrás da borda principal da tempestade.
Com uma área de nível médio de baixa pressão, o ar é aspirado sob a região estratiforme de precipitação. À medida que o ar é puxado para dentro do lado traseiro da tempestade, ele começa a descer à medida que se aproxima da linha da frente das células. Antes do alcance da borda de ataque, o jato mergulha as cabeças para o chão como um downdraft forte, criando ventos em linha reta.

 

Ref:

https://en.wikipedia.org/wiki/Rear-inflow_jet

 

Excluir: Jato de entrada traseiro ou Editar: Jato de entrada traseiro ou

L

Landspout

Um landspout é um termo não-oficialmente usado para designar tornados que não se originaram de mesociclones. Os landspouts apresentam as mesmas características do que as trombas de água de tempo razoável, ou seja, curta duração e ventos mais fracos do que um sistema de tornado. Devido a essas características, um landspout pode ser chamado de "tromba de terra", pois este sistema nada é mais do que uma tromba de água de tempo razoável sobre a terra.

 

https://pt.wikipedia.org/wiki/Tornado#Landspout

Excluir: LandspoutEditar: Landspout

Linhas de Instabilidade

Linha de instabilidade é uma zona de instabilidade na qual uma série de tempestades estão dispostas de forma alinhada. São tidas como uma tempestade multicelular, uma vez que são formadas por várias células convectivas de curta duração. A frente de rajada normalmente é mais intensa do que de tempestades de uma única célula, especialmente na direção do seu movimento frontal. Formam-se principalmente em regiões mais quentes, nas zonas tropicais. Sua ocorrência normalmente está associada a eventos de tempo severo, como chuva intensa, granizo, ventos fortes e até mesmo a formação de tornados. Podem ainda dar origem a um tipo de tempestade, o derecho, caracterizada por fortes ventos que atingem grandes áreas.

No Brasil olhem:

http://www.rbmet.org.br/port/revista/revista_artigo.php?id_artigo=146

https://pt.wikipedia.org/wiki/Linha_de_instabilidade

https://en.wikipedia.org/wiki/Squall_line

 

Excluir: Linhas de InstabilidadeEditar: Linhas de Instabilidade

M

Mesovortices

 Mesovortices são sistema tempestade convectivas que características de rotação, em tais como aqueles encontrados em ecos arco , trovoadas supercell, ea parede do olho de ciclones tropicais. Eles variam em tamanho de dezenas de milhas de diâmetro a uma milha,  e pode ser extremamente intensa.

 

https://en.wikipedia.org/wiki/Mesovortices

 

Excluir: MesovorticesEditar: Mesovortices

Meteotsunami

Um meteotsunami ou tsunami meteorológico é um fenômeno de ondas de origem meteorológica semelhante aos tsunamis. Tsunamis e meteotsunamis se propagam na água da mesma forma e possuem a mesma dinâmica costeira. Em outras palavras, para um observador na costa, onde atinge, os dois tipos pareceriam o mesmo. A diferença está apenas em sua origem.

 

 

Excluir: MeteotsunamiEditar: Meteotsunami

Microexplosão

A microexplosão é uma pequena corrente descendente que se move em um caminho oposto a uma tempestade. Um tornado o fluxo é em direção à nuvem e numa microexplosão o vento vem de cima para baixo. Microexplosão são encontrados em fortes trovoadas.  Existem dois tipos de microexplosão dentro de uma tempestade : microexplosão  húmida  e microexplosão  seca. Eles passam por três estágios em seu ciclo, o downburst (corrente descendente), explosão e estágios de almofada. A microexplosão pode ser particularmente perigoso para aviões, especialmente durante o pouso, devido ao cisalhamento do vento causado pela sua frente de rajada . Vários acidentes fatais foram atribuídos ao fenômeno nas últimas décadas, e o treinamento da tripulação de vôo vai muito longe sobre como se recuperar adequadamente de um evento de cisalhamento de microburst / vento.

A microexplosão muitas vezes tem ventos fortes que podem derrubar árvores totalmente crescidas. Eles geralmente duram de alguns segundos até vários minutos.

https://en.wikipedia.org/wiki/Microburst

Excluir: MicroexplosãoEditar: Microexplosão

R

Redemoinho de fogo

Um redemoinho de fogo, também chamado de tornado de fogo, é um raro fenômeno no qual o fogo, sob certas condições (dependendo da temperatura do ar e das correntes) adquire uma vorticidade vertical e forma um redemoinho ou uma coluna de ar de orientação vertical similar a um tornado.

 

https://pt.wikipedia.org/wiki/Redemoinho_de_fogo

Excluir: Redemoinho de fogoEditar: Redemoinho de fogo

Redemoinho de pó

Os redemoinhos, torvelinhos, redemoinhos-de-poeira, pés-de-vento ou diabos de poeira (em inglês: dust devil) são ventos em espiral formados pela convecção do ar, em dias quentes, sem ventos e de muito sol.

Ocorrem quando o solo se aquece em determinado ponto, transferindo esse calor à porção de ar que está parada logo acima dele. Quando atinge uma determinada temperatura, esse ar sofre rápida elevação, subindo em espiral e cria um mini centro de baixa pressão. Devido ao princípio da conservação do momento angular esse redemoinho ganha velocidade e acaba levantando a poeira do solo, fazendo com que um funil de 'sujeira' seja visível. Ele pode apresentar desde alguns centímetros até muitos metros de altura.

Frequentemente esse fenômeno é confundido com um tornado, porém vale salientar que, ao contrário dos tornados, os redemoinhos de poeira somente se formam em dias sem nuvens, sob muito sol e calor e baixa umidade do ar. Além disso, a velocidade dos ventos desse fenômeno raramente ultrapassa os 100 km/h, podendo causar apenas pequenos estragos, tais como destelhamentos leves.

 

https://pt.wikipedia.org/wiki/Tornado#Redemoinho_de_p.C3.B3

 

 

Excluir: Redemoinho de póEditar: Redemoinho de pó

RFD Corrente descendente do Flanco de retaguarda

A corrente descendente (downdraft)  flanco traseiro ou RFD é uma região de acondicionamento de ar seco em torno da volta de um mesociclone em um supercélula tempestade. Estas áreas de ar descendente são imaginadas serem essenciais para a produção de muitos supercélula de tornados. A presença de  granizo grande dentro do RFD, muitas vezes mostra-se brilhantemente como um gancho no radar meteorológico imagens, produzindo a característica eco gancho, que muitas vezes indica a presença de um tornado

https://en.wikipedia.org/wiki/Rear_flank_downdraft

Excluir: RFD Corrente descendente do Flanco de retaguardaEditar: RFD Corrente descendente do Flanco de retaguarda

S

SCMs- Sistema Convectivo de Mesoescala

Sistema convectivo de mesoescala

Um sistema convectivo de mesoescala (SCMs) é um complexo de tempestades que se organiza em uma escala maior do que as tempestades individuais, mas menor do que os ciclones extratropicais , e normalmente persiste por várias horas ou mais. Padrão de nuvens e precipitação geral de um sistema convectivo de mesoescala pode ser redonda ou linear em forma, e incluem sistemas meteorológicos, tais como ciclones tropicais , linhas de instabilidade  e Complexos Convectivos de Mesoescala (CCMs), e geralmente se formam perto frentes meteorológicas . O tipo que se forma durante a estação quente sobre a terra foi observado em toda a América do Norte e do Sul , Europa e Ásia , com um máximo de actividade observado durante a tarde e noite até altas horas.

https://en.wikipedia.org/wiki/Mesoscale_convective_vortex

 

Excluir: SCMs- Sistema Convectivo de MesoescalaEditar: SCMs- Sistema Convectivo de Mesoescala

T

Tornados

Um tornado é um fenômeno meteorológico que se manifesta como uma coluna de ar que gira de forma violenta e potencialmente perigosa, estando em contato tanto com a superfície da Terra como com uma nuvem cumulonimbus ou, excepcionalmente, com a base de uma nuvem cumulus. Sendo um dos fenômenos atmosféricos mais intensos que se conhece, os tornados se apresentam sob várias formas e tamanhos, mas geralmente possuem um formato cônico, cuja extremidade mais fina toca o solo e normalmente está rodeada por uma nuvem de pó e outras partículas. A maioria dos tornados conta com ventos que chegam a velocidades entre 65 e 180 quilômetros por hora, mede aproximadamente 75 metrosde diâmetro e translada-se por vários metros, senão quilômetros, antes de desaparecer. Os mais extremos podem ter ventos com velocidades superiores a 480 km/h, medir até 1500 m de diâmetro e permanecer no solo, percorrendo mais de 100 km de distância.

Referencia

https://pt.wikipedia.org/wiki/Tornado

Excluir: TornadosEditar: Tornados

Tromba de água

Tromba de água

Tromba de águatromba-d'água, ou tromba marinha, é um grande vórtice colunar (normalmente semelhante a uma nuvem em forma de funil) que ocorre ao longo de um corpo de água e está ligado a uma nuvem cumuliforme.

Uma tromba de água é oficialmente definida pelo Serviço Nacional de Meteorologia dos Estados Unidos como um simples tornado sobre água. No entanto, os pesquisadores normalmente distinguem uma tromba de água de "tempo razoável" de trombas de água tornádicas.

  • Trombas de água de tempo razoável são menos severos, mas mais comuns e são semelhantes quanto a sua dinâmica aos redemoinhos ou aos landspouts. Eles formam-se na base de nuvens cumuluscongestus em águas tropicais ou subtropicais. Eles têm ventos relativamente fracos, paredes de fluxo laminar estáveis e lisos e geralmente viajam muito pouco. Em Florida Keys, este fenômeno é frequentemente visto.
  • Trombas de água tornádicas são literalmente tornados sobre água. Eles podem formar-se sobre água como um tornado mesociclônico ou ser um tornado quando eles fazem landfall, ou seja, quando começa a mover-se sobre terra. Devido a sua origem de uma severa tempestade e por ser geralmente mais intensos, rápidos e de mais longa duração do que as trombas de água de "tempo razoável", são considerados mais perigosos.

https://pt.wikipedia.org/wiki/Tornado#Tromba_de_.C3.A1gua

Última atualização: Thursday, 15 Apr 2021, 10:44