Clicar em "Editar" para preencher

Equipe Tema (título) Delineação do Público Alvo:  Beneficiários intencionais (quem poderia utilizar diretamente esse trabalho?). Formas de comunicação e linguagem devem ser adequadas a esse público!  Máximo de participantes e materiais necessários
# Nomes + e-mails
1

 Flávia Lapa (flavialapa@yahoo.com.br) e Bruna Amante (huamamamante@gmail.com)

 

 

Resgate do sentido e prática agroflorestal na comunidade indígena Itaty (Flávia), e o bambu como elemento potencial no contexto socioambiental da comunidade (Bruna).

 

Público alvo: alunos do ensino fundamental da Escola Itaty e lideranças indígenas Mbya guarani da aldeia Itaty, Terra Indígena (TI) Morro dos Cavalos, município de Palhoça/SC.

Aproximadamente 20 indígenas no 1o momento e no 2o momento, será aberto para a participação de 10 integrantes do PPGA.

Metodologia prévia:

1o MOMENTO: Resgatar com os(as) alunos(as) e professores(as) do ensino fundamental da Escola Itaty, o tema central sugerido; oralmente, com auxílio de desenhos (obs.: utilizar material ........), e vídeo. 

Durante as próximas aulas, os professores indígenas trabalharão com os alunos, as plantas de interesse para a cultura (alimentação, artesanato, medicinais, cultura). E com base nas duas atividades será construído o 2o momento.

2o MOMENTO: Oficina para introdução de um canteiro agroflorestal e manejo de bambu, levando em consideração demandas da comunidade, conhecimentos tradicionais e conhecimentos aprendidos na Unidade Curricular SAF. A oficina será construída de forma participativa entre comunidade-universidade.

Local de realização:

TI Morro dos Cavalos, aldeia Itaty.  

Resultado esperado

Experiência de diálogo com comunidade indígena, treinar a linguagem oral informal, construir e observar outros tipos de linguagem (linguagem corporal, linguagem com símbolos, entre outras identificadas e usadas na oportunidade), exercitar o "tempo comunidade". Planejar uma Oficina de SAF com perfil Mbya Guarani para ser executado na aldeia, com cooparticipação dos alunos e lideranças.

Dificuldades previstas

Deslocamento para a aldeia Itaty, localizada no Morro dos Cavalos, município de Palhoça/SC.

Contamos com a colaboração dos alunos do PPGA para a participação ativa durante o 2º momento.

 

Material necessário:

- alimentos para passarmos o dia. 

- botinas de cano alto, luvas, facão, enxada, pá,  serrinha de mão/serrote, chapéu, mudas (a definir), composto (em último caso).

- carros para deslocamento.

2
 Pedro Rodriguez 
(gomesrodriguez@gmail.com)
 Prática de manejo (poda e plantio) em SAF na ADAGH

 Público alvo: estudantes da disciplina Sistemas Agroflorestais

 Metodologia: A atividade ocorrerá na fazenda ressacada das 10h às 12h nos dias 28 de setembro e 26 de outubro (a atividade será repetida neste dia).

 Introdução teórica (20min): Poda: fisiologia da poda (formação de calo, compartimentalização, defesa antibiótica, resposta radicular), métodos de realizar poda (limpeza, formação, fenologia das arvores), necessidade de luz (espécies, estratificação), distribuição dos resíduos (proteção de mudas, disponibilização de nutrientes), plantio (escolha das espécies, escolha do local). Geral -> específico (especies do local).

 Prática (1h30min): Reconhecimento da área e análise, escolha dos locais de plantio e escolha do material para poda baseado na iluminação e na disponibilização de nutrientes. Realização da poda -> manejo dos resíduos -> plantio.

Máximo de participantes: meia turma

Materiais necessários: Teoria: projetor, computador;

Prática: Plantio: propágulos a serem plantados, cavadeiras, pás, enxadão; Poda: serras de poda, facões, motosserra e operador (funcionário), enxada;

3

 Diego dos Santos

(diegosagro@hotmail.com)

 Implantação de um experimento agroflorestal

 Público alvo:  estudantes de pós graduação da disciplina Sistemas Agroflorestais

Metodologia: a atividade ocorrerá em três momentos e terá uma parte teórica em sala de aula e outras duas práticas na fazenda Ressacada.

A parte teórica ocorrerá na quarta-feira dia 21 de setembro, das 9 às 10 horas da manhã. A atividade consiste em uma exposição e diálogo sobre o experimento, bem como a divisão dos grupos e entrega do desenho experimental e demarcação da área onde cada grupo irá trabalhar e pela qual ficarão responsáveis pelo plantio.

A atividade prática será dividida em duas partes. Na primeira parte, que esta prevista para dia 28 de setembro, serão plantadas as árvores e arbustos. A Segunda parte, no dia 26 de outubro, será feito o plantio das espécies herbáceas. Nos dias da atividade prática, a previsão de início é às 8 horas na fazenda Ressacada.

 

Máximo de participantes: 7 estudantes + Professor 

Materiais necessários

Parte teórica: projetor multimídia; 

Parte prática: material de propagação das espécies arbustivas e arbóreas (PARTE I) e das herbáceas (PARTE II); 3 baldes; 3 enxadas; 3 facões; 3 trenas; 3 pás de corte; composto; 

4
 Camila Tavares
(camila.homann@gmail.com)

Soluções agroflorestais sob diferentes perspectivas em um espaço comum

 

Público alvo >> Estudantes da pós na disciplina de SAFS

 

Localização e caracterização do espaço>> Bosque do campus Trindade da UFSC

 

Objetivo do “evento”>>Solucionar com SAFs diferentes questões trazidas por diferentes olhares para o mesmo lugar.

 

Data e horário>> EM DEFINIÇÃO.

 

Pessoas além da pós envolvidas (em andamento)>>

*Confirmados: Guilherme (ex bolsista de um projeto direto a revitalização e ocupação do Bosque), Rodrigo? (atual bolsista).

*Ainda no imaginário: alguém do CCS para horto medicinal, do CCB para a parte biológica, alguém do CED para falar de educação (infantil?), CFH com permacultura e talvez alguém da arquitetura para entrar com a parte de paisagismo.

 

 Método (em alinhamento)>>Conhecimento e reconhecimento do espaço como um todo junto aos especialistas,para conversarmos sobre o que cada um dos convidados imagina “com seu óculos” para o mesmo espaço. Discutirmos pontos positivos e negativos. Após, brainstoming coletivo sobre cada área para construirmos possíveis soluções que envolvam sistemas agroflorestais para cada uma das demandas – oportunidade de contrução coletiva para um espaço comum!

Por fim, construirmos um mapa do lugar com espaços delimitados para cada 'diferente' uso, justificados e realísticos.

*Tentar encaminhar para alguém que saiba como fazer acontecer de verdade.

 

 

 

Participantes >> Turma da pós e mais  5 especialistas externos (CCB, CCS, CED, CFH, ARQ)

 

Material necessário >>Frutas para um picnic, chimarrão, cangas e/ou toalhas para botar no chão, vontade, pensamento crítico e deslocamento (2-3 carros? Camila e Diego??)

 
5

 Hanna Schuler

(hannarschuler@gmail.co)

Vicente Parra

(vparraleon@gmail.com)

 

Interpretação de resultados e indicação de ações que poderiam ser implementadas para superar as limitações encontradas nas pesquisas integrativas de SAFs Agroecológicos no Sul do Brasil

Publico alvo
Agricultores, assentados, técnicos e agentes de extensão, pesquisadores, professores e estudantes dos três estados do Sul (atuação será simulada por estudantes de graduação e pós-graduação.) 

 

ObjetivosAnalisar as limitações  encontradas nas pesquisas em SAFs no Sul do Brasil  e propor ações para superá-las  no   plano acadêmico, político e institucional.

 

Procedimento
1. Depois de apresentar o contexto do projeto SAFAS, a turma se dividirá em duas equipes para analisar os resultados preliminares (escrita em papelões), com foco nas dificultades encontradas pelos artigos científicos e pelos projetos de desenvolvimento.

2. Cada equipe terá uma matriz (escrita em papelão) a ser preenchida com indicação de ações concretas em no máximo 30 minutos com o auxílio de Hanna para artigos científicos e Vicente para projetos de desenvolvimento.

3. Um representante de cada equipe será selecionado para apresentar a análise da equipe em plenaria. 

 

Tempo requerido:

  • 20´ Explicação do projeto (apenas justificativa, universo de estudo e  procedimentos metodológicos - de modo mais simples possível,com foco nos resultados
  • 10´ Explicação do procedimento  de análise de dados
  • 30´Análise em equipes (2 equipes) 30´Plenaria

Total: 1 hora e 30 minutos.

Número máximo de participantes:20

 

 

 

 

 

 

Materiais Didáticos·        

 

  • Projetor
  • Papelões   
  • Canetas coloridas
  • Fita adesiva
  • Cartolinas

 

6
 Martin Ewert
nitram.ewert@gmail.com
 Oficina de Introdução à Permacultura e Sistemas Agroflorestais  

OBJETIVOS

A oficina tem como objetivo capacitar para a elaboração e planejamento das atividades de implantação e manejo de sistemas agroflorestais, compreensão da filosofia da permacultura, princípios éticos e sensibilização acerca de questões socioambientais emergentes.

 

METODOLOGIA

O conteúdo é apresentado equilibrando sessões de exposições teóricas, demonstrações técnicas e dinâmicas de grupo. Ao final da oficina, os participantes deverão realizar um exercício de design agroflorestal com base nos princípios da permacultura, o qual deve ser apresentado e avaliado com o grupo todo. Os participantes serão divididos em grupos de no máximo 4 integrantes e devem criar o design agroflorestal de uma determinada área escolhida pelo grupo, com ênfase no planejamento das atividades necessárias para a implantação, manutenção, manejo e colheita dos SAFs. Por fim, será selecionado um projeto para implantação prática.

 

 

QUEM PARTICIPA?

Os participantes são todos os interessados, profissionais ou não, estudantes, ativistas ou simplesmente guardiões de terrenos e territórios para os quais a permacultura e os sistemas agroflorestais podem ser uma ferramenta de transformação, empoderamento ou ativação de um valioso serviço à Terra e às pessoas que co-habitam.

NÚMERO MÁXIMO DE PARTICIPANTES: 

20

 

MATERIAIS DIDÁTICOS

  • Projetor
  • Papel Craft
  • Canetas coloridas
  • Fita adesiva
7

 

     
8        
       
10